Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011

Não cabe em mim...

Não cabe em mim todo o amor que te tenho

Transborda do meu corpo

Goteja para o chão da Terra

Um fio de água

Transforma-se depois num regato

Um rio

Por fim um imenso oceano

Cobre planícies, vales, montanhas

A Terra inundada

O mundo é afinal muito pequeno

E pequeno

Deixa tombar este sentimento para o Universo

No espaço infinito

Um oceano inteiro de amor por ti

Não cabe em mim todo o amor que te tenho

Sufoca-me

Liberta-se do meu peito

Ergue-se no ar e consome todo o oxigénio da Terra

Liberta-se da atmosfera e atinge as estrelas

Que brilham agora mais intensamente

Desembaraçadas do pó estelar

Por este sentimento sincero

Límpido

Não cabe em mim todo o amor que te tenho

Solto-o. Liberto-o. Desobrigo-o. Exalo-o.

Ofereço-to.

 

 

 

Cláudia Moreira

Dezembro 2011

 

 

tags: ,

publicado por magnolia às 15:23

link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 18 de Maio de 2011

Não te deixarei fugir outra vez...

 

 imagem retirada da net

 

Deixei-te fugir numa destas tardes primaveris em que o sol ameaçava já desmaiar por força do adiantado das horas. Saíste do meu peito num bater de asas suave, deixando no ar um cheiro de saudades e rosas. Depois vi-te voar em direcção ao céu azul matizado de cores pastel. Brincaste por momentos no cabo de alta tensão e depois, misturado entre andorinhas de peito branco e asas negras, desapareceste do meu ângulo de visão.

 

Sentei-me então na beira da estrada, um pouco vazia e perdida, olhando o céu na esperança de que não demorasses muito a voltar. O frio que me entrou pelos pés e me percorreu as pernas por dentro, demorou muito pouco a chegar ao ventre e depois de um breve momento de hesitação, chegou ao peito. Esse, vazio, fazia eco quando pensava no teu nome. Depois o frio cortante tornou-se vento e quando se fundiu com o eco, o barulho tornou-se ensurdecedor.

 

Depois, como se tivesse caído uma chuvada de Verão que lava a terra e as plantas e os beirais das casas e deixa tudo num silêncio dormente, fiquei em paz. Nenhuma inquietação, nenhum suspiro profundo, nenhum tremor de lábios entreabertos, nenhuma dor por detrás do esterno. Apenas o silêncio dentro do meu corpo. Nem o sangue a correr nas veias se fazia ouvir. Nada.

 

Depois daquilo que me pareceu ser uma eternidade, voltaste, e contigo as sensações antigas em catadupa. A inquietação voltou. Os suspiros voltaram. As tremuras nos lábios voltaram. A dor por detrás do esterno voltou. E com tudo isso o teu rosto também voltou a habitar o meu peito e trouxe dentro dele o teu sorriso e dentro do teu sorriso a certeza de que nunca amarei mais ninguém tão intensamente.

 

Lembrei-me então da fita que trazia no meu cabelo farto e com ela fiz um laço e prendi-te então ao braço. Não te deixarei fugir outra vez.  

 

Cláudia M.


publicado por magnolia às 17:34

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 16 de Maio de 2011

Um coração no espaço...

 

 

Sei que vais achar exagero,

mas a verdade mais transparente e mais pura

é que quando me sorris

o meu coração salta do meu peito

sobe pelo céu aberto numa corrida desenfreada

sem que eu o consiga deter,

entra na troposfera,

passa pela estratosfera

depois rapidamente pela mesosfera e termosfera

e por fim já no espaço, onde a gravidade nao o afecta

deixa-se cair, flutuando feliz por entre estrelas e planetas

percorre toda a Via Lactea 

e só depois desta viagem que parece longa

mas que não demora nem um segundo

volta a entrar no meu peito

mesmo, mesmo a tempo

de eu conseguir esboçar o gesto especial com os lábios

para te devolver o sorriso...

 


publicado por magnolia às 00:32

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 27 de Novembro de 2009

Rendi-me a ti...

imagem retirada da net

 

 

Rendi-me a ti

Tive mesmo que me render

Porque nada mais havia a fazer…

 

Rendi-me a ti

Caí aos teus pés prisioneira

Corpo e alma, eu toda, eu inteira…

 

Rendi-me a ti

Fui tonta e parva e tonta

Achei que para o amor eu estava pronta…

 

Rendi-me a ti

Rendi-me a ti para não mais sofrer

Porque estava cansada de assim viver

Da solidão que dói eu queria me defender

 

Livrar-me da dor que ser só encerra

Mas no amor luta-se mais que numa guerra

E a minha alma, depois magoada, caiu por terra

 

E tu.

E tu, chegaste um dia imponente e a minha alma arrasaste

E meu coração com o teu exército de indiferença calcaste

E de lama e sangue negro muito sujo o deixaste

Foste embora.

Depois foste embora sem nada dizer

Como se nem quisesses saber

Como se eu não importasse sequer

 

Rendi-me a ti

Por amor

Para nada

Para sofrer

Estou triste

E nada mais há a dizer…

 

 

 

magnolia

 

sinto-me: :(

publicado por magnolia às 09:41

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Segunda-feira, 8 de Junho de 2009

Partiu-se

 

Partiu-se

Caiu ao chão e partiu-se em mil pedaços

Senti quando saltou do meu peito

Quando por momentos subiu acima dos meus olhos

Depois suspenso, olhou-me

Apenas uns breves instantes

Depois caiu e partiu-se

Chorei

Muito

Não sei agora como arranja-lo

Não conheço nenhuma cola especial

Nem magia que o conserte

Apanhei do chão os pedaços um a um

Carreguei-os no regaço e afaguei-os

Depois

Beijei-os

Uma lágrima caiu-lhe em cima

Ficou a marca indelével da minha dor

Nunca mais a poderei esquecer

A minha dor

Guardei os pedaços numa caixinha de seda

Rezei uma oração em despedida

Fechei-a

Guardei-a

Para sempre

Para sempre guardei meu coração.

 

 

sinto-me: apenas triste

publicado por magnolia às 15:33

link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito

Quinta-feira, 7 de Maio de 2009

Em ti confio...

imagem da net

 

Pegaste-me na mão com cuidado

Apertaste-a um pouco e senti

O coração a doer, apertado

Como no dia que te conheci

Amo-te, tu sabes isso bem

Nem preciso to dizer

O silêncio serve também

Para dizer coisas sem a boca mover

Segui-te sem pressas até ao fim do rochedo

Confio em ti como confio em Deus

E de mãos dadas caminhamos sem medo

 Os meus olhos sempre procurando os teus

Paramos ali e olhamos o vazio

Apertamos as mãos mais um pouco

E o vento soprou áspero e frio

O meu coração bateu como louco

Depois acalmou e quase parou

Estava em paz, finalmente

O medo que tive acabou

Suspirei então profundamente

E contigo lancei-me no espaço

Os dois juntos pairando no ar

Mão com mão, braço com braço

Descemos até à terra muito devagar

Amo-te, tu sabes que sim

Conheces bem o meu sentimento

Que é puro e não terá fim

Mesmo quando estou em sofrimento

Confio-te meu sentimento, amor

E sigo-te até ao fim do mundo

Não importa se na alegria ou na dor

Importa que é grande e profundo….

 

 

sinto-me: só...

publicado por magnolia às 00:04

link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

Sábado, 7 de Março de 2009

Quem és tu?

                          

imagem retirada da net

 

 

Quem és tu?

Não sei quem tu és…

Tu que me tiras o sono

Povoas os meus sonhos

E inflamas os meus sentidos…

Não tens rosto

Ainda não existes…

 

Quem és tu?

Uma sombra, um pensamento

Não sei quem tu és…

Mas um dia virás

E em mim depositarás um beijo

No teu braço sucumbirei

E serei então feliz…

 

Quem és tu?

Não sei quem tu és…

Mas já tenho saudade

Sinto falta de ti

Vem, não te demores

O tempo urge meu amor

É tempo de ser feliz.

Agora.

 

 

 

 

 

sinto-me: sonhando acordada
tags: ,

publicado por magnolia às 00:17

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

Escrevo sobre o amor...

imagem retirada da net

 

 

Escrevo sobre o amor

Um dia após outro escrevo

Sempre sobre o amor

 

Nada mais eu sei escrever

Nem sobre lutas, nem pátrias

Nem sobre viver ou morrer

 

Só escrevo do que sei falar

Das emoções, dos sentimentos

Do sofrer, do sentir e do amar

 

Não preciso do lápis de carvão

Para sobre o amor escrever

Escrevo poemas com o coração

 

Não sei fazer rimas brilhantes

Nem escrever sobre a ciência

Nada sei de coisas importantes

 

Não importa, não quero saber

Escrever livros grandiosos

Quero só sobre o amor escrever

 

Escrevo sobre o amor

Um dia após outro escrevo

Sempre e só sobre o amor…

 

http://www.youtube.com/watch?v=0Su8LXNS16A

 

 

 

sinto-me: sei lá
música: the piano

publicado por magnolia às 00:32

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2009

Negro céu

imagem retirada da net

 

 

Olho o céu de negro toldado

Sinto-me só, triste, angustiada

Na garganta um nó apertado

Pela tua ausência prolongada

 

Vejo as escuras ondas altas do mar

É como se estivessem dentro de mim

Querendo tudo destruir ao passar

Num ir e vir sem nunca ter fim

 

Sinto a brisa que passa ligeira

Cheirando a sonhos e maresia

Envolvendo-me toda, inteira

Como em outros dias de alegria

 

Estou triste, não nego a verdade

E já não sei o que fazer ou dizer

Para acabar com esta ansiedade

Que sinto em mim por não te ter

 

Tantos sonhos que desapareceram

Coisas que foram ficando para trás

Desejos que tive e que morreram

E de sonhar já não me sinto capaz

 

Olho o céu que ameaça tempestade

E sinto-o igual ao meu coração

Que transborda de saudade

De negrume e desolação

 

É triste, a solidão é muito triste

E é um vazio difícil de preencher

Receita para a solidão não existe

Já não sei que mais hei-de fazer…

 

sinto-me: lonely
música: várias, sempre lamechas...

publicado por magnolia às 01:04

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009

Falta de ti

imagem retirada da net

 

Olho o céu, as flores e o mar

E nada é mais belo que tu, amor

Olho os passaros e ouço-os cantar

E nada é mais belo que tu, amor...

 

E nada é mais belo que tu,amor

Nem rubis, safiras ou  diamantes

E nada é mais belo que tu, amor

E sem ti nada será como antes...

 

Sinto tanto a tua falta, amor

De ver os teus olhos brilhantes

Sinto tanto a tua falta, amor

E de sermos eternos amantes...

 

E de sermos eternos amantes

Sinto tanto a tua falta, amor

Dos teus beijos inebriantes

Sinto tanto a tua falta, amor...

 

Volta para mim agora, amor

Que sem ti eu não sou nada

Volta para mim agora, amor

Assim estou perdida, cansada...

 

Assim estou perdida, cansada

Volta para mim agora, amor

Não me deixes só, abandonada

Volta para mim agora, meu amor...

 

sinto-me: um pouco triste
música: With you - Josh Groban
tags: ,

publicado por magnolia às 00:15

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


tags

todas as tags

links

leituras recentes

participe neste blog

posts recentes

Não cabe em mim...

Não te deixarei fugir out...

Um coração no espaço...

Rendi-me a ti...

Partiu-se

Em ti confio...

Quem és tu?

Escrevo sobre o amor...

Negro céu

Falta de ti

Algo que não tive

Promessa quebrada

O meu jardim inventado

Envelhecida...

O vazio que eu sinto...

Olha amor...

Vejo-te longe...

Cartas para ninguem

Pensei que...

Porque tu não estás...

arquivos

Fevereiro 2013

Novembro 2012

Maio 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Junho 2007

Março 2007

Março 2006

as minhas fotos

Fazer olhinhos

blogs SAPO

subscrever feeds